4 de ago de 2014

Última sessão do djumbai com jornalistas sobre Jornalismo, Ética e Direitos Humanos


Terminou a 1 de agosto a semana de djumbais com jornalistas. Nesta última sessão tratou-se de aspectos relacionados com a carreira jornalística na Guiné-Bissau, como a  preocupação dos jornalistas e estagiários a nível laboral, a falta de meios e debateu-se o desequilíbrio entre o apoio à comunicação social pública e privada.

Discutiu-se igualmente a participação dos jornalistas na concretização dos Direitos Humanos tendo em conta uma perspectiva mais operacional e menos legalista destes. No final da sessão o grupo debateu a forma como se podem operacionalizar os Direitos Humanos, e quais são as capacidades e instrumentos  necessários à realização prática dos Direitos Humanos, com recurso a estudos de caso e com vista a debater conceitos de desenvolvimento sempre numa perspectiva de Direitos Humanos.

O Encerramento das actividades contou com a presença do Director-geral da Comunicação Social, o Sr. Humberto Monteiro, que informou ter no governo um plano de urgência para a Comunicação Social, que vai incluir a formação de diferentes técnicos da área e que já se encontra em curso um trabalho de recolha de informações relativas às carências dos órgãos de Comunicação Social. Frisou também a necessidade de se reconhecer e recompensar a contribuição, transversal à sociedade, dada pela comunicação social e da necessidade de serem os profissionais da área a conquistar credibilidade através do seu trabalho.

1 de ago de 2014

Continua o djumbai com jornalistas


Hoje teve lugar a segunda sessão do djumbai com jornalistas. Durante a sessão, debateu-se a questão das fontes (jornalísticas) em direitos humanos, regras e cuidados adicionais a se ter no tratamento de noticias delicadas relacionadas aos Direitos humanos.

Posteriormente foi feita a análise de casos práticos nos quais se tratou da dificuldade de abordar questões éticas e práticas ao se tratar de Direitos Humanos, tratou-se também das regras e boas práticas de jornalismo, e ainda das áreas em Direitos Humanos em que a comunicação social pode contribuir para a mudança da realidade. 

Por fim debateu-se sobre a criação de um prêmio jornalistico em Direitos Humanos e do respectivo regulamento. Os presentes puderam dar sugestões e apresentar idéias em relação à forma como este deve ser concebido pelo Observatório.